O antigo código dos cavaleiros é uma lenda tão famosa quanto a do Rei Arthur, um mito desafiador e que pode realmente ter existido.

 

O significado da palavra  cavaleiro vai além da pura compreensão do homem sentado em sua sela e a performance em batalhas. Já na época de Alexandre, o Grande, da Macedônia, ele pertencia a classes sociais mais abastadas e era considerado amigo do rei. Em certas culturas, como as que se imortalizaram na  idade média européia, esperava-se que além dos dotes guerreiros ele tivesse também como fator direcionador para sua vida a virtude, em ações e palavras. Eram necessários exemplos de força aliada a sabedoria,  os quais transmitiriam para a população os conceitos de justiça e segurança.

 

Hoje, o mundo continua tão violento quanto antes. Este se traduz não só em atos físicos, mas morais. Basta notar cada vez que, propositalmente ou não, colocamos nosso semelhante como prisioneiro de situações, ou aceitamos as que sabemos que são erradas por egoísmo de nossas vidas. Temos uma grande propensão de justificar o que nem mesmo concordamos para poder conviver dentro de padrões de comunidade. Facilmente encontramos exemplos de pessoas que colocam que foram forçados a tomar decisões para a própria sobrevivência e de seus entes queridos, bem como a fuga de privações materiais.

 

E, em um ciclo contínuo, colocamos o mundo em que vivemos  mais longe de nossas esperanças, do que sabemos, internamente, ser justo. Esta campanha foi criada com a prepotência de ajudar a inverter esta tendência. Pode-se fazer uma analogia com a terceira lei de Newton, ação e reação. Se continuarmos nos adequando ao que ocorre a nossa volta nunca seremos autênticos, respeitáveis e felizes. Então, por que não disseminar os valores do velho código e tentar resgatar algo que sempre admiramos? Como somos influenciados pelo ambiente em que vivemos, também podemos modificá-lo com nossas atitudes.

 

Dissemine o Velho Código dos Cavaleiros, e não só entre aqueles que você chama de companheiros. Mas lembre-se: para agir segundo suas diretrizes, terá que abdicar de muitas situações que lhe trazem comodidade.

 

 

Um cavaleiro é verdadeiro consigo mesmo;

Um cavaleiro pode ser confiável pois honra sua palavra;

Um cavaleiro pensa antes de falar;

Um cavaleiro usa sabedoria e discrição em suas palavras e atos;

Um cavaleiro é seguro de si mesmo e supera a arrogância;

Um cavaleiro é forte, mas gentil com mulheres e crianças;

Um cavaleiro tem um coração bom e senso de humor;

Um cavaleiro tem o discernimento para perceber uma piada maledicente;

Um cavaleiro honra e respeita seus impulsos para procriação;

Um cavaleiro tem um profundo amor, honra e respeito pela natureza e a mãe terra, e tem a coragem de agir quando elas estão sendo violadas.

 

 

 

 

 

 

 

 

Terceira Lei de Newton

Princípio da Ação e Reação.

"A uma ação sempre se opõe uma reação igual, ou seja, as ações de dois corpos um sobre o outro são sempre iguais e se dirigem a partes contrárias "
 

O Antigo Código dos Cavaleiros
 

Um cavaleiro está jurado ao valor
Seu coração conhece apenas a virtude.
Suas lâminas defendem os indefesos.
Sua bravura sustenta os fracos.
Sua palavra fala apenas a verdade.
Sua fúria anula os mal intencionados.

Seja valente, Cavaleiro, e verdadeiro.

O antigo código dos cavaleiros - versão em inglês

 

The Knight's Old Code

A knight is sworn to valor.
His heart knows only virtue.
His blade defends the helpless.
His might upholds the week.
His word speaks only truth.
His wrath undoes the wicked.

Be valiant, Knight, and true.

 

 

 

PASSAGENS DO FILME

CRUZADA

DIRIGIDO POR RIDLEY SCOTT